Skip to content

Personagem da semana: Sir Stirling Moss

02/06/2011

Mantendo a tradição de todas as quintas-feiras postar sobre alguma personalidade relacionada ao automobilismo, hoje é dia de um cavalheiro.

Sir Stirling Moss, considerado por alguns como o melhor piloto que já existiu, mesmo sem ter ganho nenhum campeonato. É um fato questionado por alguns, pois os números indicariam que muitos outros pilotos seriam melhores. Ele correu contra grandes nomes do automobilismo, entre os quais o pentacampeão Fangio, e durante uma carreira de 11 anos ele foi vice-campeão quatro vezes e chegou em terceiro em outras quatro.

Iniciou a carreira em rallies de subida de montanha aos 18 anos, antes de começar a competir em autódromos a partir de 1949. O sucesso obtido na Fórmula 3 garantiu um lugar na equipe HWM de Fórmula 2, e dois anos depois disse ele já estava na Fórmula 1 travando fantásticas disputas com os grandes nomes da época.

Sir Stirling Moss

Sir Stirling Moss

Em 1955 ele foi contratado pela Mercedes, para ser companheiro de Juan Manuel Fangio, fato que gerou alvoroço, pois o grande mestre seria companheiro da jovem promessa. Naquele ano, Moss venceu o Grande Prêmio da Inglaterra e a famosa corrida de Mille Miglia e Fangio foi campeão do mundo pela terceira vez. Em 1956 a Mercedes deixou a Fórmula 1 e ele foi obrigado a ir para a Maserati, onde venceu duas corridas e foi vice-campeão, enquanto Fangio foi campeão novamente.

Em 1957 a história se repetiu, mudando apenas o carro, Stirling venceu três corridas com o seu Vanwall e foi vice-campeão de Fangio novamente. No ano seguinte, com a aposentadoria de Fangio tudo parecia preparado para seu primeiro título, mas mesmo vencendo quatro corridas, perdeu o campeonato para Mike Hawthorn por apenas um ponto. Mais uma vez Moss trocou de equipe e dirigiu vários carros nos anos de 1959 e 1960, vencendo três corridas nesse período. Acabou ficando boa parte desta última temporada impossibilitado de pilotar devido a um grave acidente no treino de qualificação em Spa. No mesmo fim de semana dois pilotos britânicos morreram na pista.

Em 1961 a Ferrari dominou grande parte da temporada se aproveitando de mudanças de regulamento que pegaram as equipes britânicas de surpresa, mas o talento de Moss sobressaiu em Monaco, quando ele venceu mesmo ao volante de um Lotus muito menos potente, e segurou três Ferraris durante boa parte da corrida. No mesmo ano ele ainda conseguiu outra vitória no temido circuito de Nurburgring, terminando o ano em terceiro e completando uma sequência de 7 anos, com quatro vice-campeonatos e quatro terceiros lugares.

Sir Stirling Moss

Sir Stirling Moss

Em 1962, Enzo Ferrari estava decidido a oferecer qualquer carro para Stirling Moss pilotar, dizendo “Eu preciso de você, me diga qual tipo de carro quer pilotar e eu farei um em 6 meses”. Infelizmente, durante uma corrida não válida para o campeonato, em Goodwood, ele bateu muito forte e teve sérias lesões, ficando em coma durante um mês. Doze meses depois de uma longa recuperação, Moss estava de volta em Goodwood para pilotar pela primeira vez desde o acidente, mas rapidamente voltou para os boxes e anunciou sua aposentadoria do automobilismo. Sua explicação foi que antes ele pilotava instintivamente, e agora estava precisando pensar e decidir e isso não era bom o suficiente para fazê-lo continuar. Ele tinha apenas 32 anos, mesma idade de Graham Hill, que venceu o segundo campeonato da carreira apenas seis anos depois.

Em sua aposentadoria “forçada”, Stirling Moss se tornou famoso como comentarista, autor e celebridade. Ele foi um dos primeiros pilotos a perceber o potencial comercial que a figura de um piloto internacional poderia ter e ele tirou proveito disso de forma interligente, se tornando muito bem sucedido. Prova disso é que mesmo após cinco décadas de sua aposentadoria, ele ainda é uma pessoa conhecida e popular no automobilismo.

Abaixo três frases que mostram bem como é Sir Stirling Moss, hoje um senhor de 81 anos.

“Melhor perder honradamente em um carro britânico, do que vencer em qualquer outro.”

“Se Deus queria que nós andássemos, por que ele nos deu pés que encaixam nos pedais dos carros.”

“Existem apenas duas coisas que um homem precisa fazer bem: dirigir e fazer amor.”

Sir Stirling Moss

Sir Stirling Moss

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: