Skip to content

Clássico da semana: Jeep Willys

17/01/2012

O famoso Jeep (ou Jipe, no Brasil) surgiu a partir de uma necessidade do exército americano para a Segunda Guerra Mundial. Com a tensão crescente do final dos anos 1930, a intenção de substituir as motos com sidecar e os Ford T tornou-se urgente. Com isso, o exército americano solicitou a diversas empresas que apresentassem opções de veículos com as seguintes características: tração nas 4 rodas, peso máximo de 590 kg, capacidade de carga de 300 kg, pequeno e com capacidades de uso geral.

Duas empresas conseguiram apresentar protótipos conviventes, a American Bantam Car Company e a Willys-Overland Motors. A primeira empresa apresentou o Blitz Buggy em 1940, o que acabou se tornando o primeiro exemplar de um veículo que culminaria nos famosos Jeep Willys e Ford GP.

 

Jeep Willys Quad de 1940

Jeep Willys Quad de 1940

 

Apesar da agilidade em apresentar o modelo, a Bantam não possuía a capacidade de produção necessária, assim como uma estabilidade fiscal e financeira. Com isso, a Willys e a Ford ganharam força para testar e apresentar seus modelos ao exército. Devido à necessidade imediata, os americanos aceitaram as três propostas, elevando o peso limite do carro para 980 kg e exigindo 1.500 unidades produzidas de cada para uma primeira aplicação.

Depois dessa fase, cada um dos modelos sofreu revisões para o lançamento de respectivas segundas versões. O Bantam teve a produção encerrada em 1941, pois a empresa estava em situação precária. A Willys adotou o nome MA (para “Military” modelo “A”) e a Ford nomeou seu veículo de GP (“Government” e “Passenger” ou “General Purpose” como também afirmam algumas pessoas). Em 1941, para criar uma padronização, os EUA decidiram manter apenas um fabricante do carrinho e a Willys ganhou a disputa, por ter o motor mais potente e ser mais barato. No final do ano ficou claro que a montadora não conseguia atender à demanda sozinha, então contratou a Ford para auxiliar na produção. Com isso, o carro passou a se chamar Ford GPW (W era para Willys) e a união foi capaz de produzir mais de 600 mil Jeeps durante a Segunda Guerra.

 

Jeep Willys de 1941

Jeep Willys de 1941

 

Jeep Willys de 1943

Jeep Willys de 1943

 

Após a guerra, a Ford perdeu os direitos de produção do carro, ficando somente com a Willys, que lançou, a partir de 1945, várias versões para as ruas, chamadas de CJ (Civilian Jeep). Com isso, ele se tornou o primeiro 4×4 de vendagem em massa no mundo. Sua produção durou décadas, inclusive em outros países, incluindo o Brasil, que produziu o Jipe até os anos 1980. Além de ser um carro extremamente resistente e de capacidades fora-de-estrada incríveis, tem mecânica muito simples e forte. No asfalto é um “peixe fora d’água”, mas em ruas de terra esburacadas, lama e trilhas é praticamente imbatível. Como parte de suas características voltadas para a guerra, os Jeeps podiam ser empilhados para transporte em navios.

 

Jeep Willys CJ de 1945

Jeep Willys CJ de 1945

 

Até hoje podemos ver alguns rodando em nossas ruas, mostrando que o passar dos anos não mudou muita coisa. Continuam barulhentos, desajeitados no asfalto, cheirando a óleo, mas mostrando vitalidade no trabalho pesado e contanto um pouco da história da indústria automobilística do pós-guerra.

 

 

 

 

 

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: