Skip to content

Clássico da semana: McLaren MP4/4

10/04/2012
Ayrton Senna pilotando o McLaren MP4/4

Ayrton Senna pilotando o McLaren MP4/4

 

Ferrari, Lotus, Williams, Mercedes, McLaren e algumas outras equipes de Fórmula 1 construíram carros vencedores e carros campeões. Mas o McLaren que disputou a temporada de 1988 era sobrenatural e na minha opinião foi o melhor F1 de todos os tempos e um dos carros de corrida mais fantásticos de todos os tempos.

Tudo começou em 1986, quando Gordon Murray projetou o Brabham BT55, um carro com linhas mais baixas que o normal, com centro de gravidade muito baixo e permitindo um fluxo de ar maior para o aerofólio traseiro, sem aumentar o arrasto. O carro daquele ano não obteve sucesso pois o motor BMW teve problemas de combustível e instalação por não se adaptar ao layout diferenciado do carro. Em 1988, com o motor Honda sendo fornecido para a McLaren, Murray revisou seu projeto e levou a ideia adiante. Por ser menor e mais moderno, o motor japonês combinou bem com o projeto, ajudando a compor um conjunto imbatível.

 

Brabham BT55 de 1986

Brabham BT55 de 1986

 

O Honda V6 turbo de 1.500 cc era o mais potente da F1 até então. Algumas versões de classificação chegavam a render 1200 cv. Vale lembrar que nessa época os carros tinham marchas “normais”, embreagem acionada por pedal e ausência de auxílios eletrônicos como controle de tração. Nada que fosse muito complicado para a melhor dupla de pilotos da época: Alain Prost e Ayrton Senna.

O domínio do MP4/4 durou a temporada inteira, mas mostrou a situação absurda já na segunda corrida, em San Marino. Senna e Prost se qualificaram com tempos na “casa” de 1:27, enquanto que nenhum outro competidor ficou abaixo de 1:30! À bordo deste carro, Ayrton se qualificou 1.5 s à frente de Prost em Mônaco, assombrando a todos, inclusive o francês. Com essa máquina, o brasileiro conquistou também seu primeiro título mundial.

O McLaren MP4/4 venceu 15 das 16 corridas da temporada (8 com Senna e 7 com Prost) e conseguiu 15 pole positions das 16 possíveis (13 com Senna e 2 com Prost). Com esse desempenho incrível, o resultado não poderia ser outro senão a conquista dos campeonatos de pilotos e construtores de 1988.

 

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: