Skip to content

Clássico da semana: Tucker Torpedo

12/06/2012
Tucker Torpedo de 1948

Tucker Torpedo de 1948

 

O Torpedo foi idealizado por Preston Tucker durante 15 anos e lançado depois da Segunda Guerra Mundial como o carro dos sonhos, muito à frente de seu tempo, revolucionário, seguro e veloz, mas que foi sufocado pela fama de fraude, nunca obtendo o sucesso almejado na apresentação. A história deste clássico é inovadora mas ao mesmo tempo conturbada, e merece ser contada e esclarecida, pois vários projetos poderiam ter mudado a história dos automóveis mas foram “apagados” por medidas políticas comandadas por grandes empresas.

O primeiro desenho do carro apareceu na revista Science Illustrated, em dezembro de 1946. Além de bonito e elegante, era muito aerodinâmico. O projeto original previa teto de vidro, carroceria em plástico ou alumínio, motor traseiro montado transversalmente e transmissão por conversores de torque. O Torpedo tinha inovações voltadas para segurança, como barras reforçadas integradas ao teto, cintos de segurança (não esqueça que estamos em 1946), a caixa de direção ficava atrás do eixo dianteiro para proteger o motorista, o painel era acolchoado, o para-brisas se soltava em caso de batidas fortes, o espelho retrovisor interno era de plástico macio e as maçanetas ficavam recuadas para dentro das portas. Um dos elementos mais famosos do carro era o farol central direcionável que acompanhava o movimento do volante e auxiliava o motorista em percursos sinuosos durante a noite. Vale lembrar que este tipo de inovação chegou aos carros recentemente.

 

Tucker Torpedo de 1948

Tucker Torpedo de 1948

 

Algumas inovações foram abandonadas durante o período de projeto por motivos de complexidade e custos, como rodas de magnésio com pneus sem câmara que autoraparavam furos, freios a disco e injeção de combustível. A engenharia do Tucker Torpedo mostrava quão ambicioso e revolucionário era o projeto. Na apresentação do carro à imprensa especializada, algumas falhas mancharam a imagem do novo automóvel. Na noite anterior a suspensão dianteira não aguentou o peso do carro e quebrou, alguns problemas de motor surgiram e a água para o arrefecimento ferveu, mas as pessoas não notaram. Mesmo com a reprovação de alguns jornalistas, o carro recebeu 300.000 encomendas, o que ajudou Preston Tucker a arrecadar dinheiro para garantir o projeto.

Os testes em rodovias comprovaram o bom desempenho prometido, pois o Torpedo deixava os carros de polícia para trás facilmente. No circuito e Indianápolis, entrava nas curvas a 170 km/h e atingia quase 200 km/h nas retas. Apesar da performance acima da média, o moderno motor era complicado, pois não permitia que o carro tivesse marcha a ré e tinha problemas na hora de dar a partida. Com isso, Preston alterou o projeto e adotou outro motor, de mesma potência, mas tal fato aumentou os custos de produção. O idealizador do projeto precisou recorrer ao governo americano para conseguir auxílio financeiro e não abandonar seu sonho.

 

Tucker Torpedo de 1948

Tucker Torpedo de 1948

 

Nesse momento, as grandes montadoras americanas da época acusaram Preston Tucker de fraude e o processaram, alegando que estava enganando acionistas e concessionários. Mesmo assim ele conseguiu provar sua inocência, mas a essa altura a imagem do Torpedo já estava manchada, acabando com o carro dos sonhos (de Preston e de muita gente). Apenas 51 unidades foram produzidas e 47 ainda existem nas mãos de colecionadores.

 

 

 

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: