Skip to content

Clássico da semana: Hofstetter

31/07/2012

O clássico desta semana estampava a capa da edição de setembro da revista Quatro-rodas com a chamada: “Hofstetter,  o nosso carro de sonho.” Em uma época marcada pelas restrições aos veículos importados, muitos modelos brasileiros surgiram sob o nome de foras-de-série. Marcas como Puma e Miura ficaram bastante conhecidas com seus esportivos de produção reduzida.

 

Hofstetter

Hofstetter

 

Com desenho definido desde 1973 e apresentado no Salão do Automóvel somente em 1984, o Hofstetter causou furor com seu desenho futurista. Visivelmente baseado no protótipo Bertone Carabo, o esportivo brasileiro era muito ousado, especialmente se levarmos em consideração as limitações da indústria nacional na época.

O projeto começou a tomar forma com o dinheiro obtido pela venda de um kart. Foram compradas tábuas para fazer o molde do primeiro protótipo, fato que explica suas linhas retas. Mario Richard Hofstetter, com apenas 27 anos na época, se utilizou da experiência da empresa do pai com fibra de vidro para projetar a carroceria. Usando um chassi tubular exclusivo e motorização Volkswagen AP 2.0 turbo (inicialmente era 1.8) chegou a ótimos 175 cv. Melhor ainda era a performance: mais de 230 km/h de velocidade máxima.

 

 

A mecânica do Hofstetter era um quebra-cabeças com peças vindas de Gol GT, Passat, Chevette, Fiat 147, Corcel, Monza, Brasília, Opala, Caminhão Ford F-4000 e até um ônibus Mercedes, que fornecia a palheta para o limpador de para-brisas único. O carro sempre vinha com um memorial completo, para facilitar o proprietária na busca por peças de reposição quando necessário.

Apesar de ter apenas 1,08m de altura, as amplas portas asas-de-gaivota facilitavam a entrada de motorista e passageiro. Por dentro o carro era confortável: tinha bancos de couro anatômicos, ar-condicionado e painel revestido de camurça. Além de estiloso, usando faróis escamoteáveis (moda nos anos 1980), o carro era muito seguro, pois utilizava uma estrutura semelhante aos carros da Stock Car da época. O pneus Corsa 225/55 tambémvinham dos Opalas de corrida.

 

 

O Hofstetter fez história às vésperas da abertura da indústria automobilística às importações. Em um mercado atrasado e carente de inovações, o esportivo trouxe ousadia, estilo, desempenho e exclusividade. O plano era vender 30 carros por ano, mas o total fabricado foi de apenas 18 unidades, incluindo o primeiro protótipo. Talvez isso se deva ao alto preço, 3 vezes mais caro que um esportivo nacional da época como o Gol GT. Quem conseguir ver um Hofstetter nos dias de hoje pode se considerar um sortudo, pois está diante de um dos carros mais raros do Brasil e do mundo.

 

Hofstetter no GP Brasil de Fórmula 1, em 1985

Hofstetter no GP Brasil de Fórmula 1, em 1985

 

Anúncios
3 Comentários leave one →
  1. mario hofstetter permalink
    01/08/2012 11:21

    Gostei, mas foram feitos só 18 carros incluindo o primeiro protótipo (M. Hofstetter)

    • 01/08/2012 11:30

      Mario, é uma honra para o nosso blog receber um comentário seu!
      Que bom que gostou do post! A informação correta sobre o número de carros fabricados já foi corrigida no texto.
      Manter contato com alguém tão importante para a indústria automobilística nacional será uma grande satisfação para toda equipe autogaragem.
      Obrigado e um grande abraço!

    • Gregory permalink
      08/10/2013 23:34

      Que bela obra Mario. Gostaria muito de ter um carro destes vc tem o molde ainda ? considera fazer uma carroceira para mim? Vende o molde? Meu email é gregoryaugusto@hotmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: