Skip to content

Personagem da semana: Alan Jones

23/08/2012
Alan Jones

Alan Jones

 

O australiano Alan Jones não costuma ser muito lembrado, mas foi ele que colocou a equipe Williams de Fórmula 1 no topo pela primeira vez. Atualmente com 65 anos e filho de um piloto de automóveis, começou cedo a se interessar pelas corridas de kart. Depois vieram os Minis e os Cooper da Fórmula 2. Em 1967 tentou carreira na Europa, mas foi frustrado pela falta de dinheiro, que o obrigou a voltar para seu país.

Três anos depois fez uma segunda tentativa, financiada por seu compatriota Brian McGuire, parceiro de Alan nas vendas de carros usados. Até 1973 ele sofreu com o dinheiro contado, de corrida em corrida, até que Harry Stiller inscreveu Jones na Fórmula Atlantic, tornando as coisas um pouco mais fáceis. Em 1975, o mesmo Stiller promoveu a estreia de Alan Jones na Fórmula 1 em sua equipe, que se retirou da categoria ao final da temporada. Mesmo assim, Graham Hill o contratou para substituir um de seus pilotos, que estava machucado. O desconhecido australiano foi muito bem, chegando em quinto lugar no GP da Alemanha.

Seu contrato foi renovado no ano seguinte, quando ficou muito conhecido por pilotar um carro patrocinado pela marca de preservativos Durex. Apesar de alguns resultados bons, como o quarto lugar no GP do Japão, foi dispensado pela equipe, que alegou diferenças entre o dono e o piloto. Estava nos Estados Unidos em 1977 quando foi chamado para substituir Tom Pryce na Shadow, depois de seu acidente fatal. Com um clima pesado na equipe, Alan Jones veio praticamente do nada e venceu o GP da Áustria, depois de largar em 14°.

 

Alan Jones pilotando a Williams em 1978

Alan Jones pilotando a Williams em 1978

 

No ano seguinte, pilotando pela Williams, sua carreira realmente começou a decolar com as excelentes pilotagens que apresentou. Paralelamente, pilotou pela Haas-Hall no campeonato Can-Am, fazendo nove pole positions e vencendo cinco corridas das dez realizadas. Em 1979, Alan Jones conseguiu quatro vitórias nas cinco últimas provas do campeonato da Fórmula, terminando em terceiro. Se não fossem os problemas de confiabilidade do FW07 com efeito solo na primeira metade do campeonato, ele certamente teria brigado pelo título. E foi o que fez no ano seguinte. Sem as mesmas falhas que o carro anterior apresentou, Jones venceu sete corridas, sendo que o GP da Espanha teve o resultado cancelado e o GP da Austrália ainda não era oficial para o campeonato. O título daquele ano veio de forma merecida, pois além dos triunfos, Alan teve uma atuação consistente, chegando ao pódio em dez das onze corridas que terminou.

 

Alan Jones pilotando a Williams em 1980

Alan Jones pilotando a Williams em 1980

 

Em 1981, o australiano brigou para defender seu título, mas perdeu por pouco a briga interna com Carlos Reutemann. Jones terminou o campeonato em terceiro lugar, 4 pontos atrás de Nelson Piquet e 3 pontos atrás de Reutemann. Depois disso, resolveu se aposentar e retornar ao que chamava de “melhor país do mundo”. Chegou a disputar corridas em 1983 pela Arrows e em 1985 e 1986 pela Lola, mas sem bons resultados com carros sofríveis. O campeão da Fórmula 1 de 1980 continou a pilotar em corridas de longa duração e carros esporte na Austrália por mais de duas décadas depois de deixar o glamour da maior categoria do automobilismo mundial.

 

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: