Skip to content

Clássico da semana: Cisitalia Berlinetta

04/09/2012
Cisitalia Berlinetta

Cisitalia Berlinetta

 

O reconhecimento que uma obra de arte merece ter pode demorar muito tempo para chegar. Com este carro não demorou muito. Foram apenas 4 anos entre lançamento e a presença dele no Museu de Arte Moderna de Nova Iorque, como reconhecimento por suas formas belíssimas.

Com o recente término da segunda guerra mundial, arquitetos e designers estavam ocupados tentando criar um mundo completamente novo, mas muitas vezes eles eliminaram elementos sedutores presentes nos carros, como cromados e frisos, dando lugar a reestilizações constantes nos automóveis. O belo e equilibrado Cisitalia provou que para se ter um controle total da forma dos carros era necessário um trabalho artístico, como fazer uma escultura.

Além disso, existem razões culturais para o sucesso do Berlinetta. Na época, a fábrica da Fiat estava adormecida com a guerra. Desta forma, o Cisitalia, concebido em Turim por Piero Dusio (1899-1975), representou o renascimento da indústria automobilística nos pós-guerra. O carro mostrou também um refinamento estético nunca antes visto. Nos anos 1930, muitas fábricas já trabalhavam em modelos bastante evoluídos, como o incrível Alfa Romeo 8C de 1938, que era sublime em alguns ângulos, mas visto de lado ainda parecia pesado demais.

 

Cisitalia Berlinetta

Cisitalia Berlinetta

 

Cisitalia Berlinetta

Cisitalia Berlinetta

 

O Cisitalia Berlinetta foi concebido por Battista Pininfarina (1893-1966), que usou os mesmos conceitos da década anterior, mas aplicou-os de forma mais fluida e harmoniosa. A curvas da carroceria fazem um apelo à aerodinâmica, enquanto os pára-lamas têm um poder mais animal, evocando as garras de um leopardo.

Como foi apresentado em 1946, este italiano foi responsavel por influenciar o design de praticamente todos os grandes esportivos das décadas de 1940 e 1950, como Ferraris e Jaguars. Ele representou o futuro e o renascimento da indústria automobilística e um marco na história da Pininfarina e até hoje faz parte do acervo permanente do MOMA.

 

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: